O velho safado

InícioBotecoArquivoColaboraçãoCardápioLeitoresPessoal


21 abr., 2014
0 notas

a-tarde-sem-fim disse: nossa, eu nasci em petrolina, que coincidência boa! Adoro esse tumblr. Também é um dos meus favs ❤️

Ah, que massa. Obrigada!

20 abr., 2014
132 notas

Bukowski, O amor é um cão dos diabos. Imagem enviada por nailaneschmidt, original do instagram

Bukowski, O amor é um cão dos diabos. Imagem enviada por nailaneschmidt, original do instagram

20 abr., 2014
13 notas

Livros para download
20 abr., 2014
0 notas

Crônica de um amor louco. Ereções, ejaculações, exibicionismos.

https://onedrive.live.com/view.aspx?cid=94C074DDA4D0BFED&resid=94C074DDA4D0BFED%213288&app=WordPdf&wdo=1

20 abr., 2014
3 notas
Anônimo: Caramba!, eu tava aqui lendo, daí fui passando as pages, e quando cheguei na 31, por aí, vi que tu também és de Pernambuco, quase surtei kk. Não tenho tumblr (não mais), mas o teu tá nos meus favoritos. É lindo! Parabéns!

Ai, que vergonha. Desculpa por só responder agora, viu?
Sou do interior de Pernambuco, Petrolina. Hahaha, também surto quando vejo alguém aqui do tumblr que more por aqui, ainda mais que goste do velho.
Muito obrigada, de verdade.

20 abr., 2014
6 notas
Anônimo: tu sabe aonde eu encontro a tradução do poema raw with love? obg e amo isso aqui rs <3

Mil desculpas por só responder agora, ando muito sem tempo.
Aqui: http://fundodocopoprofundo.blogspot.com.br/2012/05/crus-de-amor-raw-with-love-pequena.html
Obrigada.

6 abr., 2014
56 notas



Katherine desceu a rampa, soberba, com os seus cabelos ruivos, corpo elegante, um vestido azul apertado, sapatos brancos, tornozelos finos, jovem. Trazia um chapéu branco de abas inclinadas com bastante gosto sobre os seus enormes e sorridentes olhos castanhos. Tinha charme. Ela nunca mostraria o eu numa sala de espera de aeroporto. E lá estava eu, cento e três quilos, permanentemente perdido e confuso, curto de pernas e como um macaco da cintura para baixo, sem pescoço, uma cabeça enorme, olhos lacrimejantes, cabelos despenteados, um metro e oitenta de bonomia à espera dela.

BUKOWSKI, Charles. Mulheres.

6 abr., 2014
140 notas



É difícil beber quando se dança. É difícil dançar, quando se bebe.

Charles Bukowski, Mulheres.

16 mar., 2014
288 notas



Afinal de contas, eu tinha feito tudo que me havia proposto na vida. Dera os passos certos. Não dormia na rua. Claro, havia um bocado de gente boa dormindo nas ruas. Não eram idiotas, apenas não se encaixavam na maquinaria necessária no momento. E essas necessidades viviam mudando. Era uma luta desigual, e se a gente dormia na própria cama já era uma preciosa vitória contra as forças. Eu tivera sorte, mas alguns dos passos que dera não os dera inteiramente sem pensar. Em geral, porém, era um mundo horrível, e eu muitas vezes me sentia tristes pelos outros.
Bem, ao diabo com isso. Peguei a vodca e tomei um trago.

BUKOWSKI, Charles. Pulp.

15 mar., 2014
8 notas

Bukowski e a máquina de escrever - vídeo legendado

Nesse vídeo, trecho do documentário ‘The Charles Bukowski Tapes’, de Barbet Schroeder, o autor fala de sua relação com a máquina de escrever, seu processo de escrita, e o medo de um dia não conseguir mais escrever as palavras ‘do jeito como devem ser’. Medo de, subitamente, não saber mais fazer aquilo que, para nós, deveria estar garantido ao escritor bem sucedido. A insegurança com a escrita, parece, faz parte da natureza do escritor.


Página 1 de 110



Theme